Thumb_logo_white Discover Create Go Pro
Log In / Sign Up
Deputado Padre Ton (PT/RO) Pres. da Frente Parlamentar dos Povos Indígenas
May 10, 2012 03:43 PM PDT

Deputados da Frente Parlamentar dos Povos Indígenas e integrantes da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Cãmara dos Deputados se queixam da falta de atenção do governo à temas relacionados aos povos indígenas no Brasil. De acordo com o Padre Ton, os deputados tem pedido constantemente e sem sucesso audiências com as autoridades responsáveis pelas questões indígenas, como os representantes da Funai e o Ministro da Justiça. Os deputados alegam que a grande demanda dos povos indígenas em relação à diversos temas, como a Secretaria de Saúde Indígena (Sesai), a proposta da PEC 215, que transfere o poder de demarcação de terras indígenas ao Congresso Nacional e as pressões para a votação do Projeto de Lei que regulamenta a mineração em terras indígenas, não tem recebido a atenção devida. Há ainda problemas graves, como no caso dos Guarani-Kaiowá, que vivem em condições precárias e sofrem constantes atentados, como os relatados recentemente. De acordo com eles, fazendeiros estariam utilizando aviões para pulverizar venenos sobre os acampamentos no Mato Grosso do Sul.

Alexandre Padilha - Ministro da Saúde
May 10, 2012 05:13 PM PDT

Em entrevista ao Bom Dia Ministro, Alexandre Padilha fala no Amazônia Brasileira sobre a SESAI - Secretaria de Saúde Indígena. Esta entrevista foi concedida em 16.02.2012.
As queixas são muitas. Doenças que até então não atingiam as populações indígenas agora se alastram pelas aldeias. Segundo e entrevista concedida pelo Padre Ton, disponível aqui no Podcast, quase tres meses depois, a Sesai ainda está longe de ter a estrutura necessária para atender a essas populações.

Silvia Nobre Waiãpi - Primeira Oficial Feminina Indígena do Exército Brasileiro
May 02, 2012 02:42 PM PDT

Em entrevista emocionante, Silvia Waiãpi conta a história da sua vida, até a realização do sonho de infância: hastear a bandeira do Brasil. Ela narra a discriminação sofrida durante todo o período escolar onde era vítima do preconceito dos colegas e, mais grave, de professoras. Uma história de vida riquíssima, e que deve servir de lição àqueles que insistem em negar aos integrantes dos povos indígenas do Brasil, o seu direito de ser plenamente brasileiros.
Silvia Nobre Waiãpi é formada em artes e em fisioterapia, e está fazendo pós-graduação em gênero e sexualidade pelo Instituto de Medicina Social da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ).
Foi incorporada ao Exército Brasileiro como tenente, após obter uma das melhores pontuações no Centro de Preparação de Oficiais da Reserva (Cpor) do Rio de Janeiro

Márcio Meira - Presidente da Funai
April 19, 2012 04:03 PM PDT

Em sua última entrevista ao Amazônia Brasileira como presidente da Fundação Nacional do Índio, Márcio Meira confirma sua saída do cargo. Ele, que ficou cinco anos na presidência da fundação, diz que deixa uma Funai forte, e que confia num grande futuro para a instituição.

Debate - Deputados Alessandro Molon e Moreira Mendes debatem a PEC 215
April 04, 2012 12:13 PM PDT

A Proposta de Emenda à Constituição(PEC) 215 inclui dentre as competências exclusivas do Congresso a aprovação de demarcação das terras tradicionalmente ocupadas pelos índios e a ratificação das demarcações já homologadas; estabelecendo que os critérios e procedimentos de demarcação serão regulamentados por lei.
Ouça o debate.

Raul do Valle - Advogado, Coordenador Adjunto de Política e Direito socioambiental do ISA (Instituto socioambiental) e Autor do Livro: Desmatamento Evitado (REDD) e Povos Indígenas.
April 01, 2012 06:21 PM PDT

Notícias recentes deram conta do contrato da empresa irlandesa Celestial Green com índios da etina Munduruku, para obter diretos sobre os créditos de carbono de terras indígenas. O Amazônia Brasileira ouviu sobre esse tema o presidente da Funai Marcio Meira e Gerson Munduruku. Mas afinal, o que são os créditos de carbono? O que significa REDD? Raul do Vale explica o que são esses termos e fala sobre a “posse” sobre os créditos de carbono.

Gerson Manhuary Munduruku - Liderança Indígena
April 01, 2012 06:01 PM PDT

Em recente entrevista em rede entre o Amazônia Brasileira e o Revista Brasil, o presidente da Funai Márcio Meira, falou sobre o contrato firmado entre a empresa irlandesa Celestial Green, e uma associação do povo Munduruku, que seria um contrato de compra de crédito de carbono. O presidente afirmou que o contrato é ilegal, e que por isso não tem validade, e que a Funai nada sabia sobre as negociações. Convidamos Gerson Manhuary, liderança dos Munduruku, para contar a história desse “negócio”. Como seu deu o contato entre a Celestial Green e os Munduruku? O que prevê o contrato? Tendo essa terra indígena mais de 2 milhões de hectares e 116 aldeias, como se deu a consulta à sua população? De que forma os indígenas estão vendo a ilegalidade desse documento? A Funai pede formalmente a nulidade dos contratos. Como a Celestial Green recebeu a notícia? O que disse aos Munduruku?
Ouça a entrevista até o fim, porque o final é surpreendente e dá a dimensão da gravidade da situação.
Confira também a entrevista com o presidente da Funai Marcio Meira
http://radioagencianacional.ebc.com.br/materia/2012-03-13/funai-alerta-comunidades-ind%C3%ADgenas-sobre-venda-ilegal-de-cr%C3%A9dito-de-carbono

Mauro Menezes, advogado da Associação Brasileira de Expostos ao Amianto - ABREA
April 01, 2012 04:56 PM PDT

Em entrevista ao Amazônia Brasileira, o presidente da Eternit no Brasil, Élio Martins, afirmou que a exposição ao amianto não oferece riscos aos trabalhadores das fábricas e minas. Afirmação esta que foi contestada pelo médico René Mendes, Especialista em Saúde Ambiental, que estuda os efeitos do amianto no corpo humana há 30 anos, que confirmou os malefícios da exposição ao mineral. Nesta entrevista ouvimos o advogado Mauro Menezes, da ABREA (Associação Brasileira de Expostos ao Amianto). A associação é responsável pelas causas trabalhistas que tramitam na justiça brasileira, de funcionários de empresas que trabalharam com produtos que tem o amianto como matéria-prima, e/ou no trabalho de exploração das minas no Brasil e que apresentam hoje graves problemas de saúde ligados à convivência com a fibra deste mineral. Desta vez enfocamos a questão trabalhista, mas questões transversais como as ambientais, de saúde pública, e de direitos do consumidor, indissociáveis, também aparecem durante a conversa.

Giampiero Rossi - Jornalista e Escritor
March 08, 2012 01:32 PM PST

Giampiero Rossi é autor do livro A Lã da Salamandra, editado no Brasil pela ANPT - Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho. O livro conta a história da Cidade de Casale Monferrato na Itália, profundamente atingida pela convivência com fibras de amianto. A fábrica da Eternit, que surgiu como uma esperança de progresso para a população local, acabou por deixar uma terrível herança. No mês passado os donos da Eternit na Itália foram condenados a 16 anos de prisão e a indenizar 3000 pessoas que perderam familiares por doenças causadas pela fibra mineral. Giampiero acaba de escrever seu novo livro, uma continuação da história da cidade de Casale cujo final é justamente o julgamento. O escritor nos fala sobre essa parte mais recente da história que está em seu próximo livro recém concluído.

René Mendes - Médico Toxicologista e Epidemiologista, Especialista em Saúde Ambiental
March 12, 2012 04:20 PM PDT

No último dia 2, ouvimos em nosso programa o presidente da Eternit no Brasil, Élio Martins, que nos falou sobre o uso do amianto nos produtos da empresa. Élio afirmou que a convivência com os produtos não representariam nenhuma ameaça à saúde. René Mendes, que há 30 anos pesquisa os efeitos do amianto no corpo humano, sendo considerado hoje, um dos maiores especialistas nessa relação entre o mineral e a saúde pública, discorda dessa afirmação. Encaminhamos a ele as mesmas perguntas que fizemos ao presidente em relação à potenciais danos à saúde dos consumidores, aqueles que convivem diariamente com esses produtos em sua casa. O especialista fala ainda sobre as questoões coletivas, ligadas ao meio ambiente, em relação ao resíduo do amianto considerado pelo Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama) como rejeito perigoso, necessitando de um descarte especial. Isso não é, no entanto, o que vemos. Por todo lado, em qualquer lugar do país, é possivel encontar cacos de produtos de amianto, principalmente das telhas, abandonadas ao ar livre. Segundo o doutor René Mendes, em função disso, "nós inalamos sem querer, e sem saber, fibras de amianto. O risco está distribuído socialmente. Embora os benefícios sejam de poucas pessoas e poucas empresas, os malefícios foram socializados pelo Brasil afora". Ele propõe um boicote dos consumidores aos produtos fabricados com amianto, em nome da saúde pública.

Previous Page  |  Next Page